ana cristina

ana cristina

Assumir o legado da mãe é uma forma de honrar sua memória. Ela é uma artista da vida.

Escute o depoimento

0:53

Da infância e juventude, Ana Cristina tem apenas doces lembranças. Em especial do carinho e das comidas da avó materna. Imigrante italiana, dona Luidia cuidava dela e de sua irmã, Ana Paula, enquanto seus pais trabalhavam. O tempo também era preenchido pela escola e por atividades como inglês, piano, balé e sapateado. 

Não por acaso Ana Cristina se formou em Letras, Educação Física e Música. E mesmo com tantas aptidões, foi o trabalho da mãe, Irene, que sempre a atraiu. Dona de um salão de beleza em Sorocaba (SP)Irene foi precursora nas vendas de produtos Natura na cidade, tendo chegado à posição de quinta Consultora com mais vendas no Brasil.  

No salão ela mantinha sua loja, onde Ana Cristina ajudava desde criança e que assumiu, junto com a irmã, há 21 anos, desde que a mãe faleceu. Consultora credenciada há 30 anos, ela está tão familiarizada com a atividade que praticamente respira Natura.  

Só tira o foco de seu trabalho para se concentrar nos cuidados com o filho, Christian, 15 anos, fruto de seu feliz casamento com Reinaldo. Seu sonho é ver o filho feliz e realizado. 

Ela também dedica algumas horas da semana a um trabalho de orientação para casais, voltado para a espiritualidade. Se sobra algum tempo, toca piano, atividade que pretende tornar mais frequente: música só traz felicidade. 

Quantas histórias fazem parte de nós?
Quantas histórias se entrelaçam para formar nossa rede viva e potente de afeto?
São muitas.
São milhões de histórias que se conectam todos os dias.
Páginas Laranjas reúne alguns desses relatos.
Aqui, Consultoras e Consultores de Beleza Natura nos contam da grande aventura que é viver.
Em cada história, há pontos em comum entre todas as histórias. E pontos incomuns também.
Porque cada uma conta à sua maneira de um mundo diferente, com sonhos, conquistas, desafios e alegrias únicas.

Cada pessoa é um mundo. E todo mundo importa.
Cada mundo tem a sua própria voz. E todas as vozes importam.
Porque todas elas contam também de nós.

Nas histórias das Páginas Laranjas está a história da Natura.